novas-ondas

Novas ondas no tratamento psiquiátrico

Por Gargi Gupta
 

Ondas magnéticas para tratar a depressão? A ideia pode parecer nova, mas é exatamente isso que psiquiatras em todo o mundo recorreram, a Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMTr), como a tecnologia é chamada, em sua luta contra essa doença mental, que segundo as estatísticas, afeta cerca de 5% da população da Índia. E eles relatam resultados animadores.
 

A Dra. Meena Kasargod, psiquiatra consultora do hospital de referência da Columbia na Asia, Yeshwanthpur (Bengaluru), usa a EMTr há seis anos. “Impulsos magnéticos são produzidos para passar 4 mm no cérebro e atingir o córtex pré-frontal esquerdo, que é conhecido por funcionar anormalmente na depressão”, explica. A EMTr, diz Kasargod, “é pensada para funcionar exatamente como os medicamentos, causando uma redistribuição de substâncias químicas dentro do cérebro”. Estes são a serotonina, norepinefrina e a dopamina, que regulam o humor e estão desequilibrados durante a depressão. Os pacientes recebem 20 sessões de meia hora por mês e relatam sentir-se 80% melhor obtendo uma melhor qualidade de vida.
 

Ilustração EMTr
Ondas magnéticas – A ilustração mostra uma compreensão da tecnologia EMTr – Gajanan Nirphale
 

A EMTr está entre uma série de tecnologias emergentes, chamadas ‘neuromodulação’ usadas para tratar doenças psiquiátricas em hospitais como AIIMS, NIMHANS e PGI-Chandigarh, na última década. Alguns desses, como a EMTr, não são invasivos. Outros como Deep Brain Stimulation (DBS – Estimulação Cerebral Profunda) requerem cirurgia. A DBS, envolve a inserção de um eletrodo ou LED dentro do cérebro, que emite sinais elétricos periódicos para estimular as partes afetadas do cérebro. Isso é amplamente utilizado no tratamento da doença de Parkinson e também no Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC). Segundo o Dr. Anurag Gupta, neurocirurgião consultor do Fortis Flt, Tenente Rajan Dhall Hospital em Vasant Kunj, Delhi, “o sistema límbico do cérebro controla o comportamento e as emoções, e qualquer desequilíbrio químico, ou um tumor ou derrame que afete o sistema límbico pode causar distúrbios psicológicos. Quando você direciona o sistema límbico, ele pode ajudar a controlar o TOC”.
 

Além da depressão, a EMTr também foi considerada eficaz no tratamento de Transtornos de Ansiedade, Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Síndrome de Tourette (um distúrbio caracterizado por tiques ou movimentos involuntários repetitivos) e Anorexia Nervosa. Enquanto eles não evitam a necessidade de medicamentos, a EMTr faz com que eles sejam muito mais eficazes, levando a doses mais baixas, diz Kasargod.
 

Tradução livre do texto original em inglês do site DNA India.
Publicado em 10 de junho de 2018.
 
 
 

Deixe um Comentário