EMT

Resultados promissores com terapia livre de remédios para depressão

Por Jenny Dean
 

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma terapia não-invasiva, sem medicamentos, que tem mostrado resultados promissores no tratamento da depressão.
 

TAMPA, Flórida – A depressão é um dos problemas de saúde mental mais comuns nos EUA.
 

É provável que você ou alguém que você conhece conviva com essa doença debilitante todos os dias. Infelizmente, a depressão não tratada pode levar ao suicídio, que é agora a décima principal causa de morte nos EUA.
 

 

Não houve muitas novas descobertas no tratamento da depressão, mas os psiquiatras estão descobrindo que a estimulação magnética transcraniana (EMT) pode ajudar as pessoas quando os antidepressivos tradicionais não estão funcionando.
 

Ted Wojciechowski teve depressão durante a maior parte de sua vida. Tudo começou quando ele era apenas uma criança depois de uma morte na família.
 

“A tristeza durou”, disse ele. “Não foi uma tristeza que estava apenas aparente – alguém morreu. Foi uma tristeza muito profunda que simplesmente não queria ir embora”.
 

Durante anos, ele encontrou maneiras de lidar com o problema, mas continuou piorando.
 

“Estava apenas começando a ser um lugar escuro para mim, embora eu tivesse tudo e todos ao meu redor, eu apenas sentia que estava sozinho e aquilo não estava certo, mesmo utilizando medicação”, disse ele.
 

Após meses de pesquisa, Ted procurou Ryan Waggoner. Wagner é um psiquiatra da USF Health que lhe recomendou a EMT.
 

“A EMT, que é a estimulação magnética transcraniana, é uma terapia não invasiva, não medicamentosa, para o transtorno depressivo maior”, disse Wagner.
 

Ele funciona apontando um campo magnético para uma área específica do cérebro que serve para excitar os neurônios. É semelhante a uma ressonância magnética, mas em uma escala muito menor e mais localizada numa área específica da cabeça. Sem dor, sem tempo de inatividade e sem efeitos colaterais importantes.
 

Ted descreveu como se sentia: “É como se fossem pontadas, tap tap tap tap”.
 

De acordo com Waggoner, “o principal candidato para o tratamento é alguém que já tentou vários medicamentos no passado, tem um diagnóstico de transtorno depressivo maior, mas que ainda não obteve alívio dos sintomas que está procurando”.
 

Wagner colocou Ted em um programa extenso. Ele recebeu cinco sessões por semana, durante seis semanas. Cada sessão leva cerca de uma hora. Ted está quase pronto, mas cerca de três semanas depois de iniciar o tratamento ele já se sentia diferente.
 

“Não há realmente uma palavra para descrever isso”, disse ele. “Foi libertador! Foi liberdade pela primeira vez em muito, muito tempo”.
 

O tratamento com EMT pode ser custoso, mas nos EUA, os convênios de saúde estão começando a cobrir pelo menos uma parte do custo.
 

E há um compromisso com o tempo. Wagner recomenda que se faça um programa consistente e estendido por seis semanas.
 

Tradução livre e adaptação do texto original em inglês do site 10News
Publicado em 5 de fevereiro de 2019
 
 
 

Deixe um Comentário